1989 – Primeira montagem: “Habitante do Sonho” de autoria de Carlos Batista, encenada no teatro da Universidade do Sagrado Coração.

Para criação das músicas e trilha sonora, Carlos contou com o musico George Vidal. O elenco foi formado por pessoas interessadas em participar do espetáculo independente de experiência ou não. Também foi convidada a coreografa Beatriz Bertolaccini, e a criação dos figurinos, Carlos Alberto Gardin, que já tinha vivido com o casal outras montagens na cidade de São Paulo, entre elas “O dia em que o medo virou música” de Carlos Batista, Francelino de Oliveira e Marcos Arthur, que rendeu à Gardin o prêmio “Troféu Mambembe” de Melhor Figurino de teatro infantil de 1984. Também foi figurinista dos programas infantis da TV Cultura, entre eles se destaca o premiadíssimo “Castelo Rá-Tim-Bum”. No mesmo ano o espetáculo “Habitante do Sonho” foi apresentado na cidade de Marília e Barra Bonita.

Cena da peça "Habitante do sonho" - Da esquerda para direita : Jarbas Galhardo, Fabiana  Negrão, Paulo Biral e Elisabete Benetti

1991 – Com o sucesso de público do espetáculo “Habitante do Sonho”, a reitoria da Universidade do Sagrado Coração, convidou Carlos

e Elisabete para realizar a segunda montagem do grupo, mas com

a participação dos universitários interessados e resgatar o nome do Grupo Véritas, grupo criado pela universidade. O convite foi aceito

e na contrapartida o casal propôs algo a mais: partilhar com os alunos

o processo da montagem isto é: o entendimento do texto, pesquisa,

jogos teatrais, criação de cenografia e iluminação entre outras atividades. A peça escolhida foi “A Canção de Assis” do amigo

Júlio Fischer. Para criação das músicas a própria universidade indicou Eduardo José, professor de música do Conservatório Musical Pio XII mantido pela instituição. E novamente o sucesso foi além da expectativa. Para atender o grande interesse do público, Carlos e Elisabete criaram

a primeira temporada teatral da cidade. No elenco além de Elisabete Benetti, participaram: Lino Henriques, Elio Andreotte, Liiiana Motta, Emílio Moreira e Lory Donizette.

Elenco da peça "A Canção de Assis". Na foto atrás: Elio Andreotti, em baixo da esquerda para direita, Lory Donizete, Lino Henriques, Emilio Moreira, Liliana Motta  e Elisabete Benetti

Outras apresentações aconteceram: em Barra Bonita-SP, dentro

das comemorações de reinauguração do Teatro Municipal Profª Zita

de Marchi, e Teatro Municipal Floriano C. Arruda Brasil em Araçatuba-SP.

1992 – O grupo retoma a temporada da peça “A Canção de Assis”

No elenco Elisabete Benetti, Elio Andreotte, Valkiria Pitta, Marco Nagao, Paulo Henrique e Lory Donizette.

No mesmo ano o grupo monta “A Lenda do Vale da Lua” de João

das Neves. A necessidade da montagem veio por conta da solicitação do Bauru Shopping, de querer promover um evento cultural aos usuários. Como na primeira montagem do grupo, Carlos e Elisabete contou com

pessoas interessadas em participar do elenco e para composição

e direção musical, Eduardo José.

"A Lenda do Vale da  Lua ". Luciana Mendes, Júlio Hernandez, Paulo Biral e Elisabete Benetti

Após a temporada de apresentações, Carlos e Elisabete levam

o espetáculo para mais uma turnê do grupo pela região. Nessa época eles já eram vistos como pessoas que tinham no teatro um cuidado, uma qualidade, não só com a produção, mas com as obras apresentadas. Elas levavam a plateia ao encantamento e a vontade de querer ver

o grupo mais vezes em suas cidades.

1994 – Carlos e Elisabete, resolvem investir em uma peça para adultos: “Até Amanhã, Tudo Bem” de autoria de Luiz Batista (irmão do Carlos). Para montagem o grupo contou mais uma vez com o músico George Vidal e para o elenco além de Elisabete Benetti, um dos participantes

da primeira montagem, Paulo Biral.

Cena da peça "Até Amanhã, Tudo Bem". Paulo Biral e Elisabete Benetti.

Os figurinos contaram com a criatividade do Gardin. O espetáculo provocou uma grande reflexão do público através de sua caga dramática e também pela plasticidade em que foi concebido, “preto e branco”. 

O espetáculo teve sua estreia no teatro da Universidade do Sagrado Coração e em seguida fez uma pequena turnê na região, passando

por Araçatuba, Marília, Jaú, Barra Bonita e Lençóis Paulista.

Neste ano o grupo inaugura o centro Cultural de Duartina com

o espetáculo “Até Amanhã, tudo bem”.

1995 – As peças “Até Amanhã, tudo bem” e “A Lenda do Vale da Lua” são apresentadas no Teatro Municipal Miguel Cury, em Ourinhos - SP.

Na montagem da “A Lenda do Vale da Lua”, o elenco foi formado por: Elisabete Benetti, Paulo Biral, Carolina Bueno e Toninho de Oliveira.

Uma pausa para o almoço. Da esquerda para direita: Toninho de Oliveira, Elisabete Benetti, Natalia Benetti, Carolina Bueno, Carlos Batista e Paulo Biral.

Neste mesmo ano o grupo repete a doze no Espaço Cultural Yázigi.

1996 – O grupo é convidado para se apresentar no Encontro Preparatório ao 6º festival de Teatro Universitário da USP, com

a montagem “Até Amanhã, tudo bem”. A apresentação aconteceu

no Espaço Cultural Yázigi em Bauru-SP. No mesmo ano a peça foi apresentada na cidade de Botucatu, no Cine Teatro Nelli.

2000 – O marketing cultural das empresas de transporte Prata investe

em mais uma grande turnê pelo Estado de São Paulo e Norte do Paraná com o espetáculo “A nova Descoberta do Brasil”

2001 – A peça “Até Amanhã, tudo bem” é remontada com

a participação do ator Júlio Hernandez, para uma apresentação num projeto “Santo da Casa” da Secretaria Municipal de Cultura de Bauru, no Teatro Municipal de Ribeirão Preto – SP, e na Casa da Cultura, em Lençóis Paulista - SP

No período de 1996 a 2003 o grupo percorreu por três turnê,

40 cidades do Estado de São Paulo e 3 do Norte do Paraná através de um projeto de Marketing Cultural, do Grupo Prata de Transportes, com objetivo de fomentar a cultura e a ação social, onde o ingresso foi 1kg de alimento não perecível que era destinado a entidades de assistência social. Os espetáculos apresentados foram: “Habitante do Sonho”,

“A Nova Descoberta” e “A Nutricomédia”.

2003 – Mais uma apresentação de “Até Amanhã, tudo bem”

no Espaço Cultural Yázigi.              

2004 – O grupo monta a peça “Prometeu é Fogo” de Luiz Batista,

uma adaptação livre do texto de Ésquilo, “Prometeu acorrentado”.

O espetáculo foi produzido com o apoio da 1ª edição do Programa

de Estímulo à Cultura de Bauru e foi apresentado em 10 bairros na região periférica da cidade, com o objetivo de provocar reflexão sobre

o tema do texto: a opressão.

2005 – O grupo levou este espetáculo para cidades de Jaú

e São Carlos.

2007 – A 21ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

de Bauru e o Grupo Ato formalizaram uma importante parceria, que viabilizou a realização de temporadas teatrais no auditório da entidade, além de formação de plateia. A parceria teve início com temporadas teatrais, através do projeto “Teatro todos os Domingos”. Para tanto

o grupo reestreia os espetáculos: “Habitante do Sonho”, “A Nova Descoberta”, Rapunzel”, “O Dia em que o Medo Virou Música”,

“A Lenda do Vale da Lua” e “A Nutricomédia”.

Paralelo a esta ação, foi criado o Projeto Gente Legal.

A iniciativa tem como objetivo estender a arte para além do palco

e integrá-la ao cotidiano de crianças, adolescentes e educadores,

na tentativa de ampliar a maneira de entender e perceber o mundo.

O projeto teve início com as crianças, jovens e educadores do “Projeto Girassol” do Núcleo Habitacional Fortunato Rocha Lima. Todos

os domingos eles iam ao Auditório da OAB-Bauru assistir a uma montagem do grupo e durante a semana Elisabete Benetti e alguns participantes do grupo acompanhavam esse público no seu projeto.

O resultado de seis meses foi um espetáculo “Sonho da Mata” roteirizado por um dos participantes – Bruno, um garoto de 8 anos.

Nos anos seguintes, o “Projeto Gente Legal” ampliou seu atendimento para 13 instituições sociais e educacionais, mantendo o mesmo formato; o teatro aos domingos e o acompanhamento nas instituições.   

2008 – O grupo reestreia no Auditório da OAB – Bauru os espetáculos: “Até Amanhã, tudo bem” no Auditório da OAB-Bauru.

No elenco Elisabete Benetti e Toninho de Oliveira.

2009 – “A Canção de Assis” reestreia como eixo central do Projeto Gente Legal....

2010 – “Alice no País das Maravilhas”...

2011 – “Era Mais uma Vez outra Vez”...

No mesmo ano, Graduados em Administração da USC, em Bauru, promovem apresentação da peça teatral “Até Amanhã, Tudo Bem,

como requisito da matriz curricular.

No mesmo ano o Grupo Ato torna-se Ponto de Cultura através do movimento Cultura Viva do governo federal em parceria com a Prefeitura Municipal de Bauru. Atendeu inicialmente as meninas do abrigo Casa

de Nazaré por três anos. E após o termino do convênio, o grupo continuou voluntariamente o processo, com crianças, jovens, adultos

e idosos, agora em um galpão cedido pela Comunidade São Sebastião, no Jardim da Grama.

2012 – “A Lenda do Vale da Lua”...

2013 – O Grupo Ato é agraciado com o Prêmio Direitos Humanos,

em reconhecimento ao trabalho junto às instituições sociais ligadas

ao Projeto Gente Legal e também pela gestão do Ponto de Cultura.

2014 – Com a necessidade de buscar novos parceiros e viabilizar suas ações é fundada: Grupo Ato Associação Cultural. Uma representação jurídica com o objetivo de investir na arte e cultura da nossa sociedade.

2015/16 – Mais uma atividade foi assumida pelo grupo: o Programa Capacita, uma parceria com a Casa do Garoto da Rede Rogacionista

de Bauru e o apoio da SEBES - Secretaria Municipal de Bem-Estar Social,

o Grupo Ato realizou em 26 instituições assistenciais, um programa

de sensibilização artística para 270 educadores sociais. Com o objetivo de fortalecer vínculos, através de conteúdos e práticas teatrais.

Na programação, dois espetáculos foram incluídos: em fevereiro/março, "A Farsa do Anjo da Asa Quebrada" e novembro/dezembro,

"O Que os Olhos Veem o Coração Sente". As apresentações atingiram um público de mais de 2.800 crianças entre elas os educadores e demais funcionários das instituições. 

2017 – Neste ano o Grupo Ato leva o Projeto Gente Legal para

as instituições parceiras, buscando com os educadores, aprofundar ainda mais suas experiências artísticas, através da linguagem teatral. O grupo junto com os participantes do Projeto Gente Legal, também esteve a partir do segundo semestre, nas ruas. Foram 10 bairros da periferia da cidade que vivenciaram brincadeiras danças e jogos teatrais.  O programa "Teatro todo Domingo" voltou com o espetáculo "Era Mais Uma Vez Outra Vez", e a Comissão Arte comunidade da OAB - Bauru que é coordenada pelo grupo, manteve suas atividades entre elas: exibição

de filmes com temas voltados para educação. No Ponto de Cultura, entre as atividades acordadas com os participantes, a montagem da peça

"O Início de Tudo", processo vivido no ano anterior.

O Teatro além do palco.

A maior prova de que a junção do teatro e do social tem atingido resultados concretos é o Prêmio de Direitos Humanos que o Grupo Ato recebeu da OAB/SP - Bauru, que nunca antes havia premiado um grupo artístico com tal honraria. Outro importante reconhecimento veio

do Governador do Estado, Sr. Geraldo Alckmin, que fez saber em comunicado oficial que “parabeniza o Grupo Ato pelo relevante trabalho social desenvolvido, através do Projeto Gente Legal”. Por fim, é motivo

de orgulho para o grupo saber que seu trabalho também tem sido objeto de estudos acadêmicos, como alguns interessantes trabalhos

de conclusão de cursos de graduação e pós-graduação.

Com todo este reconhecimento e estimulo que o Grupo Ato se mantém firme no ideal: levar o teatro para além do palco.

2018 -– O Grupo Ato amplia suas ações junto à comunidade com

a montagem de um espetáculo teatral criado a partir do interesse dos participantes e totalmente realizado por eles. Pesquisa, texto, cenários, figurinos e encenação. A criação das “Partilhas artísticas” (apresentações de artistas bauruenses) e sessões de cinema aproximaram

e repertoriaram a comunidade.bA observação das estações do ano (Verão, outono, inverno e primavera), enriqueceram as vivências

“Ponto na Praça”, trazendo mais consciência e estimulando práticas

e posturas mais sustentáveis.

Finalizamos este ano com duas temporadas teatrais, na OAB com alunos do curso de teatro oferecido pelo Grupo Ato, o espetáculo a “Canção de Assis” e “Nossa Cidade, Nossa História” com os participantes do Ponto de Cultura Gente Legal, no Espaço Casulo.

2019 – O Ponto de Cultura Gente Legal oferece a comunidade mais uma temporada teatral: remonta a peça “O Início de Tudo”. No planejamento anual, mais uma temporada: “Sapatinhos Gastos de Tanto Dançar” e uma apresentação “Nossa Cidade, Nossa História”, no Teatro Municipal de Bauru, dentro das comemorações dos 30 anos do Grupo Ato.

Nós apoiamos este site